Soldado israelense libertado pede paz no Oriente Médio

O soldado israelense Gilad Shalit, libertaádo na última terça-feira (18) após acordo entre o governo de Israel e o moávimento islâmico Hamas, disse em sua primeira entreávista que está em boa saúde e espera que sua troca por prisioneiros palestinos ajuáde a levar à paz entre os dois povos no Oriente Médio.

Respondendo por meio de um intérprete, Shalit disáse que ficaria muito feliz se os palestinos ainda presos em prisães israelenses fosásem libertados para voltar a suas famílias. “É claro que eu sinto muita falta de minha família. E também de meus amigos. Espero que este acordo leve à paz entre paálestinos e israelenses”, disse.

O soldado israelense foi entregue a representantes do Egito, que intermediou o acordo, antes de ser levado a Kerem Shalom, no lado isáraelense da fronteira. Shalit havia sido feito prisioneiro por milicianos do Hamas desde 2006 em uma posiáção militar israelense confiánante com o sul do territóário palestino da Faixa Gaza.

A libertação de Shalit foi possível após a Suprema Corte israelense dar aval nesta segunda-feira (17) ao acordo anunciado na semana anterior, ao rejeiátar os recursos de parentes de vítimas de atentados.

Segundo o acordo, Shaálit será trocado por 1.027 prisioneiros palestinos, dos quais 477 foram soltos ontem. Espera-se que a troca de prisioneiros ajude a reacender as negociaáçães diretas de paz entre israelenses e palestinos, paralisadas há mais de um ano. (DA REDAÇÃO)