São Caetano traça estratégias de atuação em caso de enchentes

Reunião multisetorial realizada na tarde desta quinta-feira (7/11), no Departamento de Água e Esgoto (DAE) de São Caetano do Sul, traçou as estratégias de atuação dos agentes públicos do município em caso de emergências no próximo período de chuvas, compreendido de dezembro deste ano a março de 2014. Em pauta, esteve o Plano Municipal de Contingenciamento de Proteção e Defesa Civil para Alagamentos, Enchentes e Inundaçães, que baliza a conduta operacional e define as atribuiçães de cada departamento nestes casos.

O documento abrangente elaborado pela Defesa Civil foi distribuído a representantes das secretarias de Mobilidade Urbana, Segurança, Serviços Urbanos, Assistência Social e Comunicação Social, além do DAE. Técnicos dos departamentos conheceram suas atribuiçães e poderão propor adequaçães ao texto até o fim deste mês para que o Plano esteja finalizado em dezembro. A próxima reunião do grupo de trabalho está marcada para terça-feira (12/11).

“Estreitar esta atuação integrada é importante para assistirmos plenamente os moradores que eventualmente sejam atingidos por enchentes no próximo período de chuvas”, ressaltou o diretor geral do DAE, Welington Kalil.

De acordo com estudo do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), São Caetano possui seis áreas propensas a inundaçães: duas de risco alto (Avenida Guido Alberti, próximo à Rua Ribeirão Pires, no Jardim São Caetano; e Avenida dos Estados, próximo à rua João Domingos Perrela, no Bairro Fundação) e quatro de risco médio, localizadas nos Bairros Prosperidade, Santo António, São José e Nova Gerty.

Segundo o mapeamento, 191 moradias e 764 pessoas podem ser atingidas por enchentes, considerando os riscos alto e médio. “Temos um plano de açães pronto, com operaçães estruturadas. Este documento deixa o nosso grupo de trabalho preparado para atuar em caso de emergências”, definiu o secretário municipal de Segurança, José Quesada Farina.

No encontro, também foi discutida a participação dos aproximadamente 100 voluntários da Defesa Civil, além do compromisso em atender às necessidades básicas dos eventuais atingidos pelas enchentes com a distribuição de materiais de limpeza e de higiene, além de colchães.

Outras açães …− Paralelo à atuação emergencial, o DAE desenvolve, ao longo do ano, diversas açães de combate às enchentes, como a manutenção e ampliação da rede de drenagem de águas pluviais, limpezas corretivas e preventivas de bocas de lobo, e na conscientização da população.

Dentro desta última premissa está inserida a campanha Boca de Lobo Não Come Lixo, que alerta os moradores sobre as consequências negativas de materiais descartados irregularmente em rios e vias públicas. Segundo o DAE, 90% dos alagamentos pontuais da cidade são ocasionados por problemas de entupimento devido ao acúmulo de lixo nas bocas de lobo.

Em outubro, foi iniciado o projeto Arte Deságua nas Ruas, exposição a céu aberto em que 25 bocas de lobo são grafitadas com imagens contra o descarte irregular de lixo …− o projeto segue até o dia 18 deste mês.

Fonte: www.saocaetanodosul.sp.gov.br