Santo André empata e vai pressionado para clássico

Apesar de jogar de forma burocrática, o Santo André teve a chance de vencer, mas Branquinho perdeu pênalti e o time do ABC apenas empatou por 1 a 1 com a Portuguesa, no estádio do Canindé, na última quarta-feira (16), pela Série A-2 do Campeonato Paulista. O resultado deixa os andreenses pressionados para o clássico do ABCD diante do São Caetano neste sábado (19/03), afinal a classificação às quartas de final está ameaçada. No momento, a equipe do ABC está na 9ª colocação, fora do G-8, com 22 pontos.

O jogo começou quente. Com poucos minutos, em lance de bola parada, a zaga do Ramalhão bobeou e a Lusa acertou a trave. Aos poucos, o equilíbrio tomou conta. A principal mudança do técnico Toninho Cecílio em relação ao anterior, Luciano Dias, é o meio de campo.

Ao invés de uma linha de três armadores, a escolha é por um trio de combate, com Dudu, Diogo Orlando e Thiago Ulisses. Branquinho é o armador solitário que busca Robson e Diego Viana no ataque.

Porém, com o controle da bola e procurando espaços, a Lusa era melhor. Em boa enfiada, Bruno Mineiro bateu cruzado e obrigou o goleiro Zé Carlos a fazer grande defesa. O Ramalhão, por sua vez, demorou cerca de meia hora para dar seu primeiro chute efetivo ao gol, com Diogo Orlando, que levou perigo. O volume era total dos mandantes. Diego Viana sentiu lesão e foi substituído pelo argentino Tripodi no ataque ramalhino.

Na volta do intervalo, a Lusa precisou de alguns minutos para mostrar sua superioridade. Aos três, em cruzamento, Renan cabececou firme e abriu o placar. Porém, relaxou e dois minutos depois sofreu o empate. Após passes no ataque, Dudu recebeu fora da área e bateu forte para fazer um belo gol, deixando tudo igual. O golpe abateu os lusitanos e abriu espaço para o Ramalhão. Robson foi derrubado na área e o juiz assinalou pênalti. Na cobrança, Branquinho bateu mal e Luis Carlos defendeu. Era a chance do Ramalhão virar. O ânimo mudou de lado. O time da casa passou a pressionar novamente, contando com a força da torcida.

Preocupado com as açães da Lusa, o treinador do Santo André resolveu tirar o meia Branquinho para colocar o zagueiro Marcos Vinicius, que foi para a lateral-esquerda. Pedro Henrique foi avançado para a segunda linha, um pouco à frente.

Na última tentativa do Santo André, Robson saiu para a entrada de António Flávio, mas o placar não mudou, apesar de um grande chance perdida, novamente com Dudu.