Saiba quem são os políticos ficha suja do ABC

SANTO ANDRÉ SARGENTO JULIANO Condenado a 12 anos e cinco meses de prisão em regime fechado por ter, segundo o Ministério Público, fraudado o sistema da Polícia Militar para que quatro munícipes pudessem ter facilidade para conseguir recorrer contra multas de trânsito.

MAUÁ MANOEL LOPES Inelegível por oito anos e com o mandato cassado pelo juiz da 217ª Zona Eleitoral de Mauá, Rodrigo Soares, que acolheu representação do PT e do PSB. A decisão foi embasada em ação impetrada pela coligação encabeçada pelo prefeito Donisete Braga, que acusou o parlamentar de distribuir cartas pedindo votos a pais de alunos da Escola Estadual Marilene de Oliveira Acetto. O colégio é dirigido por Jane Donatiello, cunhada do parlamentar. Manoel continua no cargo de vereador por ter conseguido uma liminar no TRE.

VANESSA DAMO Uma decisão proferida pela Justiça de Mauá, manteve a parlamentar inelegível até 2020. A deputada foi condenada, pela terceira vez, por causa da distribuição de “publicidade ofensiva” veiculada nas eleiçães de 2012 contra seu então oponente, o prefeito Donisete Braga (PT).

BATORÉ A justiça de Mauá, aceitou as denúncias oferecidas pelo Ministério Público de São Paulo contra o vereador Ivan Gomes, o Batoré (PRB), por improbidade administrativa. Dessa forma, o parlamentar foi acusado de cobrar 50% dos pagamentos de salários de ex-assessores de gabinete, além de requerer os benefícios como 13º salário, vale-alimentação e, inclusive, a restituição de imposto de renda.

SÃO CAETANO DO SUL JOSÉ AURICCHIO JR. A Câmara de São Caetano rejeitou as contas do ex-prefeito José Auricchio Júnior (PTB) do ano de 2012 por 10 votos contra oito, o legislativo corroborou com o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), assim o petebista se torna inelegível pela lei da Ficha Limpa.

CIDÃO DO SINDICATO Por unanimidade, o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) condenou o vereador de São Caetano Aparecido Inácio da Silva, o Cidão do Sindicato (Solidariedade), por abuso de poder económico, praticado na eleição de 2014, quando foi candidato a deputado estadual …− ficou como suplente. Pela decisão, o parlamentar fica inelegível por oito anos e não poderá concorrer à reeleição ao Legislativo em 2016.

RIBEIRÃO PIRES KIKO TEIXEIRA Em 25 de agosto de 2014, Kiko teve sua candidatura impugnada a pedido Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) e julgado procedente pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) onde o relator do processo foi o Juiz Silmar Fernandes. No processo de improbidade administrativa, Kiko Teixeira ficou inelegível pela rejeição de suas contas à frente da presidência da Câmara Municipal de Rio Grande da Serra no ano de 2008. Segundo o TRE, Kiko cometeu ato doloso de improbidade administrativa.

DEDÉ DA FOLHA O Tribunal Superior Eleitoral oficializou o trânsito em julgado do processo que julgou Dedé da Folha inelegível nas últimas eleiçães. Dedé foi condenado por abuso de poder económico dos meios de comunicação social com decisão transitada em julgado em 10 de maio de 2006″.Desta maneira, Dedé da Folha está inelegível.