Reservatório Jacquey já leva tranquilidade a moradores do Rudge Ramos

Em fase de testes desde o início de março, o reservatório Jacquey …− integra as obras de macrodrenagem do sistema Ipiranga/Vivaldi …− está deixando os moradores da região do Bairro Rudge Ramos mais sossegados no que se refere aos riscos de alagamentos. É que entrou em funcionamento uma das seis bombas previstas a operar toda vez que a cidade receber quantidade considerável de chuva.

No momento a bomba é acionada por um gerador (são dois) movido a diesel. O painel eletrónico já foi instalado no centro de comando. Falta apenas a conexão da rede elétrica, o que deve ocorrer na primeira quinzena de abril. De acordo com Luiz Bueno, engenheiro da empresa que realiza o serviço, a estação elevatória, cuja água da chuva será bombeada para o Córrego dos Meninos, na Avenida Lauro Gomes, deverá ser finalizada em maio, após a conclusão de outras etapas. O reservatório é coberto e tem capacidade para armazenar 6,2 mil m³ de água, equivalente a 6,2 milhães de litros. Segundo moradores, desde o início das obras, em 2014, a Rua Jacquey, onde o reservatório está localizado, não é afetada pelas enchentes. “No início deste ano choveu forte, mas deu apenas uma lâmina d”água no fim da rua, porque ainda não havia sido feita a ligação da passagem da água para o reservatório. Agora vamos nos livrar desse tormento”, disse o autónomo Marcelo Marquesin, 54 anos. “Já perdi muita coisa aqui. No passado, a água chegava a uns dois metros de altura. Ainda bem que entrou um prefeito (Luiz Marinho) que resolveu”, completou. Outra obra que integra o sistema Ipiranga/Vivaldi é a construção de duas galerias na Rua Warner (esquina com as ruas Ipanema e Universal), que vão captar a água da parte alta do Jardim Hollywood e conduzi-la pelo Córrego Ipiranga até o Tanque das Mulatas. O tanque já está operando e tem capacidade para armazenar 17 mil m³ de água (17 milhães de litros). O Córrego Ipiranga também foi canalizado. As galerias serão interligadas por um túnel de 130 metros. Além do túnel, resta finalizar as obras de microdrenagem da Rua Warner (bocas de lobo, bocas de leão e tubulaçães). A previsão é de que a obra também fique pronta no fim de maio. O túnel é escavado pelo sistema Pipe Jacking, método de cravação de tubos de aço no solo (4,5 m de comprimento) que servem como cápsula protetora enquanto os operários fazem a escavação manual. Na medida em que a escavação avança uma máquina instala os tubos de concreto (2,5 m de comprimento) por dentro do tubo de aço. O sistema Ipiranga/Vivaldi representa a segunda maior obra do Drenar, programa de combate às enchentes em toda a cidade. Já foram entregues no Rudge Ramos os reservatórios Ipiranga, Vivaldi e Helena e mais de 20 mil metros de canais e galerias de drenagem, proporcionando aos moradores alívio das tensães provocadas pelas chuvas, que resultavam em inundaçães. As obras de canalização do Córrego Pindorama, no Jordanópolis, também estão em andamento, com previsão de término para o primeiro semestre deste ano. As intervençães no Nova Petrópolis e Paulicéia também prosseguem e vão contribuir para os objetivos do programa, a exemplo de outras entregues ou recentemente finalizadas e em testes, como a drenagem das ruas João Firmino, no Bairro Assunção; MMDC, no Paulicéia; elevatória Rio Claro, no Rudge Ramos; córregos Silvina e Chrysler, no Jardim Silvina; Córrego Alvarenga, no bairro de mesmo nome; e os córregos Colina e Mininha, no Baeta Neves. Além dessas obras, a Prefeitura constrói no Paço Municipal piscinão com capacidade para armazenar 190 milhães de litros de água e galerias de captação sob a Rua Jurubatuba para acabar com as inundaçães no Centro. Em toda a cidade estão sendo investidos cerca de R$ 600 milhães em obras de combate às enchentes. Disk Drenar Os moradores podem agendar visitas ao túnel que está sendo construído sob a Rua Jurubatuba (conduzirá a água ao piscinão do Paço) pelo e-mail ou pelo Facebook “programa.drenar” e tirar dúvidas sobre o programa pelo.