Prefeitura de Diadema e UNIFESP fortalecem parcerias

A Prefeitura de Diadema recebeu esta semana o pró-reitor da UNIFESP, Pedro Arantes, e o diretor do campus Diadema, João Alexandrino, para discutir o projeto pelo qual serão construídos dois campi, além de um alojamento para os estudantes, no centro da cidade e novas parcerias. Uma parceria que já está em atividade é junto à Casa da Economia Solidária, capacitando os integrantes das cooperativas.

A Prefeitura doou o terreno da antiga Conforja, indústria metalúrgica que ficava ao lado do Terminal Metropolitano de Diadema, para a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). No local será construído um Centro Universitário.

A UNIFESP solicitou o apoio da prefeitura para firmar parceria com as empresas da área química da cidade. “Podemos criar em Diadema um polo de ensino e pesquisa científica. A cidade ganha com a mão de obra qualificada. Queremos discutir propostas de parcerias com as empresas”, afirmou o pró-reitor. Outra solicitação foi encaminhamentos referentes, à construção do novo Centro Universitário ao lado do Terminal Metropolitano de Diadema, que está em fase de licitação. Serão construídos três prédios para abrigar novos cursos e mais vagas de ensino aos alunos, laboratórios de pesquisa, biblioteca e auditório. O primeiro prédio a ter início de obras será o de acesso ao campus. O projeto, que está em fase de analise pela prefeitura, envolve as áreas de Habitação, Meio Ambiente e Transportes.

A UNIFESP está produzindo maquetes sobre o projeto do Centro Universitário que serão apresentados para os alunos e para população ainda este semestre.

Economia Solidária …− Uma alternativa de alimentação saudável, com comidas funcionais, é um dos benefícios que os moradores do município terão com a implantação de um projeto junto a Associação dos Tapioqueiros e a Associação dos Churrasqueiros (UNICHURRAS). O projeto, que já está em andamento, consiste em uma avaliação dos produtos comercializados e uma capacitação para os vendedores, dividida em 2 etapas, com duração prevista para 7 meses, ambos realizados pelos professores da Unifesp.

A primeira delas consiste na avaliação da qualidade higiênico-sanitária dos produtos comercializados. Durante a segunda fase, o objetivo será voltado para o desenvolvimento de novos produtos, trazendo ingredientes funcionais aos produtos de tapioca e carne.

Ao finalizar as etapas, os vendedores participarão de uma capacitação, com atividades práticas, onde serão apresentados os novos alimentos funcionais. Com isso, os 140 vendedores do UNICHURRAS e 40 comerciantes de tapioca também serão beneficiados, pois além de aprender sobre a diversificação dos produtos, ainda irão saber mais sobre manuseio, armazenamento, qualidade e produção dos alimentos, tendo assim, um diferencial no seu negócio. No final os comerciantes envolvidos na capacitação receberão um certificado de participação no projeto.

Coordenado pelo Prof. Dr. Classius Ferreira da Silva, engenheiro químico, o programa é composto por mais cinco professores da UNIFESP e conta com o apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

“Acredito que a Casa da Economia Solidária foi uma ótima iniciativa para o município. É um espaço em que os empreendedores se sentem mais à vontade do que se fosse em um ambiente formal como normalmente existe em uma secretaria municipal. Escolhemos Diadema por isso e porque o nosso campus precisa se integrar cada vez mais ao município, como ocorre com a Unifesp, em São Paulo; com a Unicamp, em Campinas; com a UFSCar, em São Carlos”, afirmou Prof. Dr. Classius Ferreira da Silva, engenheiro químico.

Além dos professores, seis alunos, dos cursos de Engenharia Química e Farmácia, também estão envolvido no projeto.

Casa da Economia Solidária Além da Associação dos Tapioqueiros e a Associação dos Churrasqueiros (UNICHURRAS), a Casa da Economia Solidária também abriga outros projetos da Incubadora Pública de Empreendimentos Populares Solidários (IPEPS), como Unimita (associação de construção civil), Okawango (recuperação de estofados e móveis, entre outros), costure bem, carrinho de milho e derivados, projetos Bem Viver Reciclar Faz Bem, cooperativa de materiais recicláveis, Feira de Economia Solidária e Artesanato, associação de deficientes visuais (massagem corporal em feiras e empresas).