Por que o pré-natal é essencial à saúde da mãe e do bebê?

A gravidez é um momento especial, e é essencial para preservar a saúde da mãe e do bebê fazer o pré-natal. Com o recente surgimento do Zika vírus, os cuidados com a gestante devem ser redobrados, o que reforça a necessidade de ficar atenta às medidas de prevenção.

Assim que estiver com suspeita de gravidez, o indicado é procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa e se informar sobre o teste, que pode ser feito na própria unidade. Com o resultado positivo, é agendada consulta com o especialista para iniciar o pré-natal.

Na primeira consulta, a gestante recebe uma caderneta onde são anotadas informaçães importantes sobre a gestação. Esses dados são compartilhados entre vários serviços da Rede Cegonha de São Bernardo: UBS, Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM), Pronto-Socorro, UPAs e Hospital Municipal Universitário (HMU). A caderneta é um documento que deve estar sempre com a gestante. Nele, constam os dados pessoais, agendamento das consultas, vacinas e resultados de exames.

Ao fazer o pré-natal, a gestante: Permite a identificação de doenças que evoluem de forma silenciosa, como a hipertensão arterial, diabetes, doenças do coração, anemias, sífilis, entre outras; Consegue detectar com antecedência problemas fetais, alguns em fase inicial, permitindo o tratamento intrauterino, proporcionando, assim, uma vida normal ao recém-nascido; Recebe avaliação dos aspectos relativos à placenta, podendo evitar graves hemorragias com sérios riscos maternos; Previne-se contra a pré-eclâmpsia, que ocorre com a alteração na pressão arterial. Esta é uma das principais causas de mortalidade materna no Brasil, segundo o Ministério da Saúde.