Para driblar crise, indústria encolhe tamanho do ovo de Páscoa

Para driblar a crise económica e manter a produção e a venda de chocolate na Páscoa em 20 mil toneladas em 2016, a mesma marca alcançada em 2015, as indústrias estão reduzindo a média do tamanho dos ovos, que já começam a decorar áreas das lojas de varejo, em cerca de 40%. Mas o preço do chocolate subiu até 10%.

Se a média era de 400 gramas ano passado, este ano, será de 250 gramas. Com opçães menores, a expectativa é que o consumidor não deixe de comprar em meio a um cenário de perda de renda e medo de desemprego.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados, a estratégia de oferecer ovos menores foi adotada pelos fabricantes na esperança de que o consumidor não deixará de comprar o tradicional chocolate de Páscoa, apesar dos salários corroídos pela inflação.

No ano passado, segundo a entidade, foram fabricados 80 milhães de ovos. Este ano, com a mesma quantidade de chocolate, calcula-se que sairão das linhas de produção 88 milhães de ovos, 10% a mais, exatamente pela redução do tamanho.

Os fabricantes também optaram por licenciamentos de produtos mais baratos como brindes nos ovos. Assim, evitam preços mais altos nesse segmento.

Os fabricantes afirmaram que os reajustes nos preços no varejo vão variar de 6% a 10% este ano. Eles confirmam também a redução do tamanho dos ovos.