O que pensa Trump: propostas e declarações polêmicas do presidente eleito dos EUA

Desde as primárias republicanas, Donald Trump chamou atenção por suas propostas e declaraçães polêmicas. De certa forma, o politicamente incorreto se tornou uma de suas marcas registradas. A BBC Brasil listou 30 promessas, acusaçães e opiniães do presidente eleito dos Estados Unidos …− resta agora saber o que é real e o que, como desconfiam analistas, não passa de retórica (bem-sucedida) de campanha.

Confira: 1. Americanos de origem árabe comemoraram os ataques de 11 de Setembro Trump fez reiteradas declaraçães afirmando que, em 11 de setembro de 2001, milhares de americanos de origem árabe celebraram em Nova Jersey os ataques aéreos às torres gêmeas em Nova York. Ele afirmou que tais comemoraçães “dizem algo” sobre muçulmanos morando nos EUA. No entanto, não há nenhum registro que comprove as afirmaçães de Trump. 2. Mesquitas nos EUA deveriam ser vigiadas Trump acredita que muçulmanos devem ser rastreados e alvo de leis antiterrorismo. Em relação ao tema, ele voltou atrás em alguns pontos como, por exemplo, na posição de manter um banco de dados de todos os muçulmanos nos EUA, mas reitera que não se importa em ser considerado politicamente incorreto por defender o monitoramento de mesquitas. 3. Mulheres devem ser julgadas pela aparência Um vídeo de 2005 exibiu Trump fazendo comentários obscenos e misóginos sobre mulheres e provocou numerosas alegaçães de assédio sexual contra ele. Num comício, ele sugeriu que uma dessas mulheres que o acusou não era atraente o suficiente para ser assediada. Além disso, pessoas que trabalharam em seu reality show “O Aprendiz” o acusaram de julgar concorrentes do sexo feminino pela aparência. E uma ex-Miss Universo, concurso do qual ele é dono, o acusou de misogenia …− Trump a chamou “Miss Piggy” depois que ela ganhou peso. 4. Idade limite para mulheres é 35 anos Num áudio divulgado pela rede CNN, no qual Trump comenta o corpo de suas próprias filhas e sobre namorar mulheres mais jovens, ele diz que 30 anos é a “idade perfeita” para elas …− e que, ao completarem 35 anos, devem “sair de cena”. 5. EUA deveriam usar afogamento como método de interrogatório Trump já defendeu métodos de interrogatório controversos e bastante criticados, como afogamento, na luta contra o grupo autodenominado Estado Islâmico. Argumentou que isso não é nada se comparado com práticas brutais adotadas pelos extremistas, como a “decapitação”. 6. Estado Islâmico deve ser mandado para o “inferno” Além de declarar que o Estado Islâmico deve ir para o inferno, Trump afirmou reiteradamente durante a campanha que nenhum outro seria mais duro na luta contra o EI. Disse que pretende enfraquecer os extremistas cortando acesso ao petróleo nas regiães onde o conflito é mais intenso. 7. O mundo seria melhor se os ditadores Saddam Hussein e Muammar Gaddafi ainda estivessem no poder Trump disse à CNN que ele acredita que a situação do Iraque e da Líbia estão “muito piores” do que estavam sob o comando dos dois ditadores falecidos. Ao mesmo tempo em que admite que Hussein era um “cara horrível”, Trump avalia que o ex-ditador iraquiano “foi melhor” na luta contra os terroristas. “Ele era um cara ruim. Muito ruim. Mas você sabe de uma coisa? Ele matou terroristas. Isso foi muito bom. Ele não lia os direitos para eles, eles não tinham voz. Eles eram terroristas. Pronto.” 8. Deve ser erguido um muro enorme entre EUA e México (e os mexicanos devem pagar por ele) Trump defende construir um muro separando os EUA e o México. Durante a campanha, ele sugeriu que os mexicanos que vêm para os EUA são criminosos. “Eles estão trazendo drogas, cometendo crimes. E eles são estupradores.” Um muro na fronteira, segundo ele, não só evitaria a entrada de latinos sem visto, como também a de imigrantes sírios. Também disse acreditar que o México deve pagar pelo muro, que, conforme estimativa feita pela BBC, poderia custar entre US$ 2,2 bilhães e US$ 13 bilhães (R$ 7 bilhães e R$ 41 bilhães). 9. Os cerca de 11 milhães de imigrantes ilegais devem ser deportados Estima-se que 11 milhães de ilegais estejam vivendo nos EUA …− e, para Trump, todos deveriam ser deportados. Apesar das críticas de que tal medida seja xenófoba e cara …− a BBC estima que custaria US$ 114 bilhães (R$ 366 bilhães) -, o republicano diz que seu plano de deportação em massa é viável. Além disso, afirma, suas reformas para a imigração iriam acabar com a cidadania concedida aos filhos de imigrantes ilegais que nasceram em solo americano. Ele não apoia nenhum tipo de caminho para legalizar a situação de trabalhadores sem documentos.