O que faz a Agência Espacial Brasileira?

agência espacial brasileira

A Agência Espacial Brasileira é um departamento responsável por formular, executar, organizar e coordenar a Política Espacial Brasileira, autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Ela opera um espaço porto em Alcântara, Maranhão, e uma base de lançamento espacial na Barreira do Inferno, Rio Grande do Norte.

Continue lendo e entenda o que faz a Agência Espacial Brasileira e como ela foi criada.

Criação da Agência Espacial Brasileira

No dia 10 de fevereiro de 1994, o então coordenador do COBAE foi transferido à Agência Espacial Brasileira, ao instituir um órgão público de coordenação central do programa espacial, subordinado diretamente à Presidência da República, representa uma mudança na orientação governamental.

A Agência Espacial Brasileira veio com o objetivo de definir e executar a Política Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais, também elaborar e atualizar os Programas Nacionais de Atividades Espaciais, que já existiam antes, a AEB foi criada como um órgão civil, com autonomia administrativa e financeira.

Já em junho de 1996, foi instituído o Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (Sindae), que consolidou o papel de liderança da Agência Espacial Brasileira na estrutura do programa espacial brasileiro. O Sindae inclui diversos outros departamentos, como por exemplo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, além do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

O Sistema Nacional também conta com centros de ensino superior, como a Universidade de Brasília, Universidade Federal de Minas Gerais e o Instituto Tecnológico de Aeronáutica.

Algumas empresas privadas, como a Alcoa, uma indústria aeroespacial que tem foco em trabalhar em diversos elos da cadeia produtiva de alumínio e a Avibras, estão inclusas dentro do Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividade Espaciais.

Organização

Na Agência Espacial Brasileira, desde sua criação, já houve oito presidentes encarregados, sendo Luiz Gylvan Meira Filho o primeiro, até 2001. Atualmente quem está no comando da AEB é Carlos Augusto Teixeira de Moura, que desde 2019 vem exercendo o cargo de presidente.

A sede principal fica localizada em Brasília – Distrito Federal.

Centros de lançamento

Existem dois centros de lançamentos no Brasil, o principal deles fica em Alcântara, localizado no estado do Maranhão, costa atlântica ao norte do Brasil. A base foi construída em 1982 e o seu primeiro lançamento ocorreu em fevereiro de 1990 pelo foguete de sondagem Sonda 2 XV-53.

O Centro de Lançamento de Alcântara é considerado o ponto de lançamento mais bem localizado do mundo, essa vantagem se da por três motivos, a baixa densidade populacional, o fácil acesso marítimo e aéreo e o principal, sua proximidade com a linha do equador é grande.

Existe planos para o lançamento de foguetes internacionais na base de Alcântara.

Já o centro de Lançamento da Barreira do Inferno, base de lançamento da Agência Espacial Brasileira, fica localizada na Rota do Sol, município de Parnamirim, estado brasileiro do Rio Grande do Norte, é a primeira base aérea de foguetes, fundada em 1965.

É usado principalmente para lançar foguetes-sonda, que não ultrapassem 1 tonelada e 10 metros de comprimento, e apoiar o Centro de Lançamento de Alcântara.

Acontecimentos históricos

Em 30 de março de 2006, o astronauta Marcos Pontes, um tenente-coronel da Força Aérea Brasileira, tornou-se o primeiro brasileiro lusófono a ir ao espaço, onde ficou na Estação Espacial Internacional por uma semana.

Durante a sua viagem, Pontes realizou oito experimentos selecionados pela Agência Espacial Brasileira. Ele pousou no Cazaquistão em 8 de abril de 2006, com a tripulação da Expedição 12.

Atualmente, Marcos Pontes é Ministro da Ciência no governo de Jair Bolsonaro.

Um marco histórico dentro da Agência Espacial Brasileira, foi o acidente de Alcântara, que matou 21 técnicos civis.

No dia 22 de agosto de 2003 um veículo lançador de satélites explodiu na base de Alcântara, três dias antes do lançamento. A causa da explosão foi uma descarga elétrica de origem indeterminada.

O total de vítimas fatais foram 21, todos homens civis.

Benefícios da Agência Espacial Brasileira

 Além de promover o desenvolvimento das atividades espaciais, o benefício, talvez o principal que a Agência Espacial Brasileira opera é a ativação de satélites que possuem infinitas funções, como fazer nossos GPSs funcionarem e também nos fornece sinal de televisão, celular e internet.