Nobre diz que Verdão não cometerá loucura em seu centenário

“Não cometeremos nenhuma loucura populista”. Esse é o discurso adotado pelo presidente Paulo Nobre para falar sobre a chance de repatriar algum jogador para o ano de centenário do Palmeiras. Fiel à promessa de manter “a saúde financeira” do clube, o cartola prefere apostar em açães de marketing para explorar a marca e garante: o fato de não disputar a Copa Libertadores em nada interfere o planejamento para 2014.

A entrega do Allianz Parque, prevista para o primeiro trimestre 2014, é o grande trunfo para as campanhas. A diretoria do Palmeiras admite que há interesse em ter um grande jogo na inauguração do estádio, como por exemplo, contra a seleção italiana. No entanto, o adversário ainda não pode ser confirmado, pois as negociaçães estão sendo tratadas pela parceira AEG. Questionado sobre a possibilidade de repatriar algum jogador, Paulo Nobre foi objetivo: “Não existe elenco fechado no Palmeiras. Da mesma forma que qualquer jogador pode ser negociado caso uma boa proposta agrade ambas as partes, também estamos atentos a qualquer bom atleta que possa vir e fortalecer ainda mais o nosso elenco, respeitando sempre a realidade económica da entidade. O que posso afirmar é que o Palmeiras não será refém do seu centenário”.