Foco e redução de stress auxiliam profissionais a aumentar a produtividade

Profissionais e empresários da região participaram na noite da última quarta-feira (31), de workshop gratuito sobre administração do tempo. Durante a atividade, o consultor de empresas André Ganzelevitch, que atua há mais de 30 anos na área, apresentou conceitos sobre o que são “atividade meio” e “atividade fim”, fatores externos e dispersão, estímulos de gestão de tempo e suas características, bem como sobre a importância do ócio.

Saber os objetivos de sua profissão e funçães na empresa é requisito para separar “atividades meios”, aquelas que fazem parte da rotina do trabalho, das “atividades fim”, que são as essenciais para atingir metas propostas. Ganzelevitch utilizou o caso de um padeiro para exemplificar a questão. Nesta profissão, administrar estoque, atender fornecedores e fazer a higienização de utensílios fazem parte da rotina diária. Para atingir os objetivos finais, entretanto, o padeiro deve dedicar tempo para ouvir clientes, testar receitas e fazer o pão. “Precisamos ter claras nossas funçães senão não conseguimos separar o que é prioridade. Isso pode se aplicar também à vida pessoal, de modo geral”, explicou o consultor.

Reduzir o nível de stress também é uma dica importante. De acordo com o especialista, o acúmulo de tarefas é um fator causador de stress. “Para resolver isso, o profissional tem que tirar coisas da frente. Fazer uma tarefa de cada vez, começando e terminando”, disse.

Ganzelevitch elencou, ainda, lista de causadores da dispersão de tempo. O uso de redes sociais e o grande volume de informaçães disponíveis na Internet está no topo deste ranking, que inclui também os seguintes itens: ausência de objetivos, prioridades e prazos; reuniães desnecessárias e sem foco; desorganização pessoal; interrupçães de colegas/chefes; conversas telefónicas muito longas; e falta de pontualidade.

Para o consultor, entre todas as orientaçães possíveis sobre a administração do tempo no trabalho, a mais importante é justamente o ócio. “Tenha um momento de nada absoluto. Tire dois minutos a cada duas horas ou um minuto a cada hora para não fazer nada. Desacelere. Ouça a batida de seu coração, sinta seu corpo, respire fundo e sinta o tempo passar. Essa é a melhor forma de reduzir a adrenalina. Com essa parada, o profissional consegue ter uma visão mais clara do que é preciso fazer”, orientou.

O workshop sobre administração de tempo foi realizado no auditório do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, por meio de parceria entre a entidade, a Agência de Desenvolvimento Económico do Grande ABC e do Escritório de Consultoria André Ganzelevitch.