Ficha Suja se desenha como grande seletor destas eleições

Perto do fim do prazo para que o Ministério Público Eleitoral conteste os registros de candidatura em todo País, o número de impugnaçães cresce a cada dia, principalmente em razão da Lei da Ficha Limpa.

Números apurados nesta semana mostram que o MPE pediu que a Justiça Eleitoral negue o registro a 1.849 postulantes aos cargos de deputado distrital, estadual e federal, além de senador e governador, dos quais pelo menos 362 (20% do total) foram denunciados por supostamente serem fichas sujas.

Os números são parciais, pois ainda não englobam as impugnaçães de São Paulo, o maior colégio eleitoral do país. Em estados como o Ceará, o Maranhão e o Piauí, os dados ainda não são definitivos. No entanto, o último balanço já aponta uma quantidade maior, em 2014, de contestaçães de candidaturas baseadas na Lei da Ficha Limpa na comparação com as últimas eleiçães gerais de 2010.