Espionagem alemã diz que Assad está por trás de ataque

Uma autoridade do grupo militante islâmico Hezbollah disse, em conversa telefónica interceptada pela inteligência da Alemanha, que o presidente sírio, Bashar al-Assad, cometeu um erro ao ordenar um ataque com gás no mês passado, o que sugere a responsabilidade do líder sírio, segundo participantes de um encontro de segurança com parlamentares alemães.

De acordo com pessoas que participaram do encontro confidencial na segunda-feira, na qual o ministro das Relaçães Exteriores alemão, Guido Westerwelle, esteve presente, o chefe da agência de inteligência externa BND disse aos parlamentares que as indicaçães que apontam Assad como culpado pelo episódio do dia 21 de agosto incluem uma ligação telefónica que se acredita ter sido entre um membro de alto escalão do Hezbollah e a embaixada do Irã em Damasco. Na conversa telefónica o integrante do Hezbollah diz que a ordem de Assad para realizar o ataque foi um erro e que o líder sírio estava perdendo a calma, disse o BND na reunião, segundo participantes. Tanto o Hezbollah quanto o Irã apoiam Assad.