Educadores da cidade recebem orientações para o combate ao mosquito Aedes

A Prefeitura de São Caetano do Sul, que está engajada no combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus, realizou na última sexta-feira (5) mais açães do Programa Sanca Contra a Dengue. Centenas de educadores das escolas da rede municipal receberam orientaçães sobre o enfrentamento ao inseto transmissor das doenças em duas palestras proferidas pelo diretor do Centro Integrado de Vigilância à Saúde (Civisa), Caio Williams Castro Júnior, no Teatro Paulo Machado de Carvalho, no Bairro Santa Maria.

O prefeito Paulo Pinheiro explicou que o objetivo da iniciativa é que os educadores de São Caetano se tornem multiplicadores, junto aos estudantes e pais de alunos, das formas de se combater a proliferação do mosquito Aedes. “Nós queremos diminuir ao máximo o problema da dengue, chikungunya e zika vírus na cidade. Para isso contamos com a ajuda de todos os educadores, que têm o poder de compartilhar as orientaçães de prevenção entre milhares de alunos e pais”, afirmou.

“Nada melhor do que a Educação para tratar este assunto com responsabilidade, multiplicando nas escolas e em todo o município as orientaçães da Vigilância à Saúde”, destacou Ivone Braido Voltarelli, secretária de Educação de São Caetano. “Nós, educadores, temos uma força muito grande. E, se orientarmos nossas crianças sobre o combate aos criadouros de mosquitos, certamente elas também se tornarão agentes nesta luta.”

O diretor do Civisa abriu sua palestra alertando os educadores sobre a possibilidade de uma epidemia de dengue no País, de acordo com estimativas do Ministério da Saúde e da Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN) de São Paulo. “Entre março e abril o Brasil deve estar enfrentando uma epidemia de dengue. Por isso temos de lutar contra a proliferação dos mosquitos Aedes”, informou.

O médico Caio Williams Castro Júnior falou sobre as diferenças entre a dengue, chikungunya e zika, dos sintomas e riscos de cada doença. Ele também derrubou alguns mitos sobre os criadouros do mosquito, informando que 80% deles nascem dentro de nossas casas. “As pessoas muitas vezes se preocupam apenas com água parada em lugares externos, mas dentro de casa, no ralo, na gaveta da geladeira, num vaso ou num bebedouro pode estar o criadouro do Aedes. Temos de estar sempre atentos.” Outra informação importante repassada aos educadores de São Caetano é sobre o rápido ciclo de reprodução do mosquito. “Leva apenas de sete a dez dias para os ovos botados pela fêmea se tornarem mosquitos adultos. Por isso temos de estar sempre jogando fora aquela água parada em qualquer lugar de nossas casas.”

A Prefeitura de São Caetano está fazendo um grande esforço de conscientização e fiscalização de focos do mosquito Aedes na cidade. Além da criação da Patrulha Contra a Dengue em dezembro, para vistoriar casas e terrenos em toda a cidade, a administração municipal reforçou o treinamento dos servidores da Saúde para o tratamento rápido de casos suspeitos. “Os funcionários de nossas UBSs e pronto-atendimentos estão capacitados para lidar com este desafio. Mas toda a população tem de fazer a sua parte”, ressaltou o diretor do Civisa.