Billings vira palco de festival de remada

Um novo local para o esporte. Pioneirismo, superação de desafios, exemplos para a vida e aprendizado. O 1º Festival de Remada do ABC, realizado no último domingo, colocou a represa Billings no mapa da prática do surfe e revelou histórias que comprovam a vocação da prancha para a superação de desafios. Realizado na Sede Náutica da Associação dos Funcionários Públicos de São Bernardo, o evento patrocinado pela Sabesp reuniu 56 apaixonados pelo surfe. Eles percorreram 3 km nas categorias Stand Up e Long Board.

O primeiro lugar na categoria masculina de Stand Up ficou com o surfista santista Rodrigo de Deus, 36 anos. Ele completou a prova em 24 minutos. O segundo lugar do Stand Up ficou com Reginaldo Lima, 45, e o terceiro com Carlos Belo Júnior, 40. No Long Board, o 1º lugar foi de Felipe Sobreira. Na categoria feminina de Stand Up, o primeiro lugar foi da professora de educação física Daniela Paiva Castro, 35. “Achei maravilhosa a ideia do festival e mostra que é possível explorar o esporte na represa Billings”, conta a campeã. O primeiro lugar na categoria Long Board ficou com a dentista Renata Marakani, 33. O festival revelou a superação. É o caso do fisiologista Eugênio José Manzini, de 53 anos. Em 2007, Manzini descobriu que tinha câncer na laringe e precisou de um estímulo para enfrentar um ano de quimioterapia. “Prometi a mim mesmo que se sobrevivesse iria remando de surf ski do Amapá ao Rio Grande do Sul”, explica. Desde esse episódio, Eugênio não parou mais de curtir a prancha e usa em seu remo o slogan com o símbolo de uma águia “Remando pela vida, vencendo o câncer”. Outro participante é Paulo Eduardo Chieffi Aagaard, o Pauê, 30 anos. Ele é surfista, campeão de triatlon e canoísta. Em 2000, Pauê sofreu um acidente em uma linha férrea e perdeu parte das duas pernas.