Beto Peralta exporta nomes de Mauá para Itaquaquecetuba

A influência do empresário Beto Peralta, de Mauá, na cidade governada pelo prefeito Donisete Braga (PT) ultrapassa o território do Grande ABC. Além de manter contratos com os Paços mauaense e de Santo André, Beto Peralta possui acordo milionário com a prefeitura de Itaquaquecetuba, sob o comando do prefeito Mamoru Nakashima (PSDB), e até indicou políticos de Mauá para o secretariado do tucano.

Pelo menos três nomes da região foram exportados para o município da região do Alto Tietê: Amilton Pegoraro, José Elídio Moreira e José Francisco Jacinto, o Icão (PTdoB). Esse último foi secretário de Administração no início do governo Mamoru e hoje é atual chefe da Pasta de Planejamento Urbano de Donisete. Icão é aliado antigo do vereador Chiquinho do Zaíra (PTdoB), que era o responsável pela Pasta até março e o indicou para o posto depois de se afastar do cargo para disputar a reeleição em outubro. Informaçães dão conta de que Beto Peralta doou R$ 30 mil na campanha de Chiquinho em 2010, quando foi candidato a deputado federal. Já Elídio foi secretário de Governo no início da gestão de Mamoru. Estava no governo Donisete como secretário de Comunicação até janeiro, quando deixou a administração petista para que o prefeito cedesse mais espaços no secretariado para os partidos aliados e ampliasse o arco de alianças com vistas ao pleito deste ano. Antes, Elídio foi superintendente da antiga Arsae (Agência Reguladora dos Serviços de Água e Esgoto de Mauá), hoje denominada como Arsep (Agência Reguladora de Serviços Públicos). Ex-secretário de Obras em Itaquaquecetuba, Amilton Pegoraro era gestor na Paulista Obras e Pavimentação Ltda, cujo dono é Beto Peralta. Em seu perfil numa rede social corporativa, Amilton informa que deixou a empresa em dezembro de 2012 e um mês depois começou a atuar como secretário de Obras em Itaquaquecetuba. À frente da Pasta, foi o responsável por abrir a primeira licitação do governo Mamoru (número 001/2013), que teve como vencedora outra empresa de Beto Peralta, a Peralta Ambiental, que ficou responsável pela coleta e destinação de lixo.

Pagamentos Assim como recebe praticamente em dia pelos governos Donisete e de Carlos Grana (PT), apesar da crise económica, a empresa de Beto Peralta também goza de realidade distinta da de muitos fornecedores da prefeitura de Itaquaquecetuba.Dados do Portal da Transparência da administração Mamoru mostram que desde 2013 a Peralta Ambiental recebeu R$ 55,6 milhães do governo pelos serviços de coleta e destinação de lixo. Se levar em consideração o que a empresa já executou na cidade (R$ 66,4 milhães), a firma de Beto Peralta já recebeu 83,8% do serviços contratados.