Americano pega 20 anos de prisão por atirar em assassino de jovem negro

O homem que atirou em George Zimmerman, o ex-vigia que matou um jovem negro em um caso que mobilizou os Estados Unidos em 2012, foi sentenciado a 20 anos de prisão, informou a Justiça da Flórida. Matthew Apperson, de 37, foi condenado “à sentença mínima obrigatória” por usar uma arma de fogo em um crime, confirmou a porta-voz Michelle Kennedy, do Circuito Judicial 18 dos condados de Brevard e Seminole, na Flórida (sudeste dos EUA).

Apperson foi considerado culpado no mês passado por tentativa de assassinato. Em 11 de maio do ano passado, Matthew Apperson atirou contra o carro em que Zimmerman viajava. Ele ficou levemente ferido por estilhaços de vidro. No julgamento, o réu alegou agir em legítima defesa, porque Zimmerman atirou primeiro. O ex-vigia rejeitou a alegação. Zimmerman, de 33, era um vigia comunitário em um bairro residencial quando atirou e matou, em fevereiro de 2012, o jovem negro desarmado Trayvon Martin, de 17, em Sanford, na Flórida. O caso ganhou atenção internacional. Filho de mãe peruana e de pai americano, Zimmerman foi absolvido por um júri, com base em uma polêmica lei da Flórida sobre legítima defesa. A decisão da Justiça deflagrou protestos em todo o país, sob acusaçães de racismo. A mãe de Apperson, Janet White, disse à imprensa estar “muito esperançosa que Corte de Apelaçães vai anular, ou, pelo menos, reduzirá essa decisão”. De acordo com o jornal Orlando Sentinel, Janet disse à juíza Debra Nelson que seu filho agiu em legítima defesa e que o verdadeiro vilão da história era Zimmerman.Desde o julgamento pela morte de Trayvon Martin, Zimmerman teve vários problemas com a Justiça, incluindo denúncias de agressão a namoradas.